Na Rede Municipal de Saúde, profissionais farmacêuticos desenvolvem papel fundamental na recuperação de pacientes

Fonte: Prefeitura Municipal de João Pessoa - SMS

Crédito: Kleide Teixeira/PMJP

A recuperação de um paciente, na maioria dos tratamentos de saúde, passa pelo uso correto dos medicamentos e, por esse motivo, o profissional farmacêutico é tão importante. No sábado, 25 de setembro, foi a data oficial para celebrar a atuação desse profissional que, na pandemia, tem sido ainda mais fundamental – na linha de frente no combate à Covid-19.

Em João Pessoa, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) conta na equipe com 80 farmacêuticos, atuando em vários setores, como nas unidades de saúde da família (USFs), unidades de pronto atendimento (Upas) e nos hospitais. Um deles é o Santa Isabel, situado no bairro de Tambiá, que conta com uma equipe de farmacêuticos dedicados a fazer o melhor para auxiliar no tratamento de centenas de pacientes enfermos.

Crédito: Kleide Teixeira/PMJP

“Desde pequena eu escolhi ser farmacêutica, por ter essa aproximação com o paciente. É uma profissão que está perto das pessoas, acompanhando a situação dela junto ao médico, conferindo se determinado medicamento vai mesmo alcançar o objetivo”, declarou Veruza Lima, farmacêutica há mais de 15 anos – do quadro de servidores do Hospital Municipal Santa Isabel desde o início de 2021. “O médico prescreve, a gente avalia e dispensa conforme a solicitação. É uma rotina prazerosa e que a gente cumpre com muito amor”, completou.

Uma rotina que exige dedicação para garantir a qualidade do atendimento ao paciente, em consulta ambulatorial ou internação. No Hospital Santa Isabel, os farmacêuticos também cuidam do armazenamento e distribuição dos medicamentos e dos produtos de saúde. Em contato com os médicos, o farmacêutico ainda tem o papel de conferir dosagens, receitas e apresentar situações da rotina do ambiente hospitalar. Clara Medeiros chegou ao Santa Isabel no início da pandemia e, de sua vivência profissional, ela revela os desafios da profissão.

Crédito: Kleide Teixeira/PMJP

“O nosso papel é está próximo do paciente e sanar qualquer dúvida que ele tiver. Nesse período de pandemia, muita gente ficou aflita e nós, farmacêuticos, fomos muito solicitados. O medicamento é o insumo essencial, mas nem sempre ele vai trazer saúde. Muitas vezes ele pode até tirar a saúde”, alertou. “A farmácia é o coração do hospital, que atende a todos e, nesse sentido, a gente está sempre em contato com o médico e o paciente”, disse a profissional.

Distribuição de medicamentos – Dentro da rede municipal de saúde, a Prefeitura de João Pessoa oferta uma imensa variedade de remédios e insumos gratuitos à população, e que passam pelo cuidado dos farmacêuticos. Apenas na rede de Atenção Básica, são 78 tipos de medicamentos dispensados, entre antitérmicos, analgésicos, antibióticos, anti-hipertensivos, anticoncepcionais, antialérgicos e medicamentos para o tratamento da diabetes.

Os remédios distribuídos pela Gerência de Medicamentos e Assistência Farmacêutica (Gemaf), na sua grande maioria, fazem parte da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename), que compõe a tabela dos ofertados pelo SUS.  Além dos medicamentos que compõe a Rename, a SMS também distribui produtos farmacêuticos da padronização específica de cada serviço, adquiridos com recursos próprios.

  • Texto: Max Oliveira
    Edição: Cristina Cavalcante

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome aqui