Pesquisadores da UFPB estudam potencial da Spirulina na prevenção da obesidade

Estudo tem como foco o combate à obesidade e às desordens na musculatura intestinal. ASCOM UFPB

Instituto de Pesquisa em Fármacos e Medicamentos (IPeFarM) da UFPB

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) está desenvolvendo uma pesquisa inédita com a Spirulina Plantesis, uma cianobactéria cultivada em água doce. O estudo analisa o mecanismo de ação preventiva da suplementação alimentar e os efeitos do seu uso em relação ao potencial de prevenir a obesidade e os transtornos de saúde relacionados a esta doença. A pesquisa está sendo coordenada pela professora Bagnólia Araújo Costa, do Departamento de Ciências Farmacêuticas e do Programa de Pós-graduação em Produtos Naturais e Sintéticos Bioativos (PPgPNSB), ambos do Centro de Ciências da Saúde (CCS).

A Profa. Bagnólia explica que não há nada descrito na literatura sobre o papel preventivo dela [da Spirulina] nas afecções gastrointestinais e na disfunção erétil induzidas pela obesidade. “Assim, esperamos registrar pelo menos uma patente com essa nova atividade biológica agregando um novo valor a um produto natural já registrado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)”.

A pesquisa está em estudos pré-clínicos e está sendo executada pelo doutorando Anderson Felliyp Avelino Diniz, no Instituto de Pesquisa em Fármacos e Medicamentos (IPeFarM) da UFPB. “A finalidade é contribuir para a descoberta de substâncias potencialmente terapêuticas ou que sirvam de ferramentas farmacológicas para o melhor entendimento dos processos fisiopatológicos envolvendo a obesidade e as desordens na musculatura lisa intestinal”, afirma o pesquisador.

Os testes foram realizados em animais de experimentação, ratos Wistar, que têm boa capacidade de aprendizagem. As alterações na reatividade contrátil intestinal induzidas pelo consumo de dieta hipercalórica nos ratos foram feitas por meio de testes in vivo e em órgãos isolados destes animais, como intestino e corpo cavernoso do pênis (in vitro).

Spirulina Plantesis é utilizada há milênios pela humanidade por apresentar alta concentração de nutrientes. Ela está presente na lista de constituintes autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), vinculada ao Ministério da Saúde (MS), e desde 2017 é utilizada como suplemento alimentar. Seu consumo como suplemento dietético traz benefícios na prevenção ou controle da hipercolesterolemia, hiperglicerolemia, obesidade, inflamação, doenças cardiovasculares e diabetes.

* * *
Reportagem: Glaucy Grangeiro
Edição: Aline Lins

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome aqui